Problema de vista é hereditário?

Você sabia que doenças genéticas e doenças hereditárias não significam a mesma coisa?  Por isso, vamos iniciar este artigo esclarecendo essa confusão de conceitos.

Uma doença genética é resultado de um erro no material genético, ou seja, um dano nos genes. Essa alteração pode ser causada em diferentes momentos da vida e por diversos fatores: radiação, infecção, má alimentação, entre outros. Já a doença hereditária, como o próprio nome diz,  é herdada.

Existem muitas doenças oculares que são transmitidas por herança familiar. Por essa razão, é sempre importante realizar os exames de rotina, pois quando uma predisposição patológica é identificada com antecedência, as chances de sucesso do tratamento são maiores. Vamos conhecer as doenças oculares hereditárias e genéticas mais comuns?

Miopia

É um distúrbio da visão que provoca dificuldade para enxergar objetos de longe, provocando uma visão embaçada. A miopia tem um caráter hereditário e, geralmente, o grau vai aumentando até se estabilizar na vida adulta (não há uma “idade exata” para todos os pacientes), independente do uso de óculos ou de lentes de contato. Na maioria dos casos, a miopia pode ser curada por meio da cirurgia a laser, que pode corrigir o grau por completo.

Catarata Congênita

A catarata congênita acontece quando o cristalino, a lente natural do olho do bebê, nasce opaco. As principais causas são as infecções durante a gestação, quando a mãe adquire doenças como a rubéola. Ou seja, trata-se de uma doença genética. O diagnóstico do recém-nascido se inicia através do teste do olhinho.

Glaucoma Congênito

O glaucoma congênito é uma doença ocular infantil causada pela pressão interna no olho do bebê ou pelo mau funcionamento dos vasos sanguíneos no nervo óptico. Os sintomas são lacrimejamento contínuo, incômodo com a claridade, olhos grandes demais, olhos desproporcionais, íris com coloração azulada e opaca. É necessário consultar o oftalmologista para fazer o teste do olhinho para prevenir qualquer desenvolvimento da doença.

Daltonismo

É uma deficiência visual em que o indivíduo não consegue distinguir determinadas cores. O sintoma mais comum é a dificuldade para enxergar as diferenças entre as tonalidades das cores. O diagnóstico do daltonismo é feito pelo teste de Ishihara. Não existe cura ou tratamento para o daltonismo.

Retinose pigmentar

É uma disfunção que afeta a retina do olho, atrapalhando a formação da imagem no campo de visão ocular. Os seus sintomas são a dificuldade da visão periférica e da visão noturna, a perda na identificação das cores e da visão central. É uma doença progressiva, sendo mais comum em jovens e em adultos do gênero masculino.

Intervenção em doenças hereditárias

Contra o fator hereditário não há uma prevenção, mas existe meios de intervir e realizar o tratamento o mais cedo possível, melhorando a qualidade de vida do paciente. Vale ressaltar que, o diagnóstico precoce, especialmente em crianças, aumenta muito as chances de se ter um tratamento eficaz. Por isso, os pequenos devem ir à uma consulta de rotina no oftalmologista, pelo menos, antes de começar a pré-escola, quando geralmente os problemas visuais são percebidos com mais facilidade.

Para saber mais sobre algum exame relacionado à saúde ocular, agende sua consulta conosco e obtenha orientação especializada de um oftalmologista.

Atendimento
A Viva Oftalmologia é um centro clínico de referência especializado em oftalmologia com sede na Capital Federal.

Segunda a Sexta - 8h às 18h
Sábado - 8h30 às 12h


SGAS 616 – AV. L2 SUL – Conjunto A
Lotes 116/117 – Bloco C – Salas 201/11
Centro Clínico Linea Vitta – Asa Sul,
Brasília – DF CEP: 70200-760
Fone: (61) 3246-5555
email: atendimento@vivaoftalmo.com.br
Tel: (61) 3246-5555/ Whatsapp: (61) 9.9998-3098

Copyright® 2017 - Viva Oftalmologia - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por Eixo digital

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?