6 doenças oculares que acometem mais os idosos

doenças oculares em idosos

Com o avançar da idade, é muito comum surgirem sinais de que a visão já não está mais como antes: a pessoa passa a se esforçar mais para ler, a visão começa a ficar embaçada e cansada, dentre tantos outros sintomas.

Diante disso, confira as 6 principais doenças oculares que podem ser responsáveis por essa visão prejudicada e saiba como identificá-las.

Catarata

A catarata é a segunda maior causa de cegueira no mundo, depois do glaucoma, segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS, e aparece com mais frequência a partir dos 40 anos de idade.

Ela atinge o cristalino do olho, deixando-o opaco e ofuscado — como se a pessoa enxergasse por um “vidro embaçado”. Saiba mais sobre as causas e fatores de risco da doença clicando aqui.

Principais sintomas: visão nublada e/ou duplicada, e excesso de brilho (sensação de estar em contato direto com o sol ou lâmpadas). Sintomas secundários também podem surgir, como dificuldade para ler, dirigir ou caminhar sem sofrer quedas ou esbarrar em objetos próximos — mesmo em pacientes que já usam óculos ou lentes de contato.

A catarata pode levar à cegueira? Sim, mas é possível evitar o seu avanço consultando-se com um oftalmologista regularmente e iniciando o tratamento correto.

Tem cura? Sim. A catarata pode ser removida completamente por meio de cirurgia. O procedimento é rápido, indolor (com anestesia local), e com altas taxas de sucesso.

Tratamento: O tratamento consiste na remoção do cristalino danificado pela catarata, e substituição por uma lente intraocular permanente. A catarata não irá voltar, e o paciente terá de volta a sua visão normal e poderá restabelecer a sua qualidade de vida.

Saiba, em detalhes, como a cirurgia é realizada neste artigo: Como tratar a catarata?

Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI)

A degeneração macular, como o próprio nome já diz, é uma doença que acomete a mácula — área da retina responsável pelo centro da visão —, geralmente relacionada ao envelhecimento.

Daí ela ser frequentemente chamada de Degeneração Macular Relacionada à Idade (ou DMRI). Pode ocorrer a partir dos 40 anos, com uma maior prevalência depois dos 50.

Principais sintomas: metamorfopsia (distorção forte na visão) e manchas ou pontos escuros na visão. Tanto a visão de perto quanto a de longe podem ficar prejudicadas, com um agravamento maior da visão central em relação a visão periférica.

A degeneração macular pode levar à cegueira? Sim, e é a principal causa de cegueira em pessoas acima dos 50 anos, segundo a OMS.

Tem cura? Não, mas é possível controlar a degeneração da mácula e melhorar a visão do paciente. Quanto mais cedo a doença for diagnosticada, melhor será a chance de prestar um tratamento adequado para preservar a visão e, assim, evitar a cegueira.

Tratamento: O tratamento mais adequado vai depender do tipo de DMRI e do estágio em que ela se encontra. Na consulta com o oftalmologista, ele poderá indicar a suplementação com vitaminas e minerais, injeções intravítreas ou uma intervenção cirúrgica, caso seja necessário.

Para saber mais sobre a degeneração macular, acesse este artigo: Degeneração macular relacionada à idade: entenda o assunto

Retinopatia Diabética e Hipertensiva

A retinopatia é um termo usado para designar aquelas doenças que acometem a retina do olho. Elas geralmente são causadas por bloqueios de aporte sanguíneo nos vasos que nutrem esse tecido, a partir de outras doenças sistêmicas — em especial a diabetes (retinopatia diabética) e a hipertensão (retinopatia hipertensiva).

Principais sintomas: no caso da retinopatia diabética, os sintomas mais comuns são: visão embaçada ou distorcida (que pode ser acompanhada de manchas), e perda da visão central ou periférica.

Já a retinopatia hipertensiva não costuma apresentar sintomas em seus estágios iniciais. Só quando ela atinge um nível mais adiantado, é que começam a aparecer alguns sinais, como deterioração da visão, maior sensibilidade à luz (fotofobia), e dores de cabeça constantes.

Em todo o caso, se a retinopatia não for tratada, ela pode se agravar e ocasionar problemas bem mais sérios, como hemorragia vítrea, tromboses, descolamento de retina, catarata e glaucoma neovascular.

Retinopatia pode levar à cegueira? Sim, mas pode ser evitada com o tratamento correto, incluindo o controle da doença associada à retinopatia.

Tem cura? Não, mas o tratamento irá preservar a visão e evitar que a doença piore.

Tratamento: De forma geral, o tratamento consiste em prevenir e controlar as doenças que podem comprometer os vasos sanguíneos da retina, em especial a diabetes e a pressão arterial.

Caso seja necessário, tratamentos específicos podem ser realizados para evitar a piora da visão, como uso de medicamentos anti-inflamatórios e fotocoagulação (aplicação de luz de laser).

Para saber mais sobre a retinopatia diabética, acesse este artigo aqui: Retinopatia Diabética: Entenda mais sobre esse problema que pode causar a perda da visão.

Descolamento de Retina

O descolamento da retina é um problema considerado como emergência médica, que deve ser tratado o quanto antes a fim de evitar a perda total da visão. Ele acontece quando a retina se desprende do interior do globo ocular, levando à degeneração celular e posterior piora da visão.

Principais sintomas: manchas escuras em formato de bolhas ou pontos — que se movem com o movimento dos olhos (moscas volantes), ou enxergar flashes de luz ao mover a cabeça e os olhos, podendo ser mais perceptíveis ao olhar para um fundo escuro.

Mas o descolamento pode acontecer também sem aviso prévio, ou em decorrência de algum outro problema, como ferimentos nos olhos ou na cabeça, miopia extrema ou tração na retina.

O descolamento de retina pode levar à cegueira? Sim. Se o problema não for tratado imediatamente, poderá ocasionar danos sérios à visão, incluindo a cegueira.

Tem cura? Sim, desde que o paciente consulte-se com um oftalmologista imediatamente para tratar o descolamento.

Tratamento: O tratamento mais adequado vai depender do que pode ter causado o descolamento da retina. Se ocorreu devido a um vazamento de líquido, o uso de medicamentos específicos podem resolver o problema. Descolamentos que causaram, de fato, uma ruptura da retina, podem ser tratados por meio cirúrgico, como a vitrectomia.

Saiba mais sobre o descolamento da retina neste artigo: Descolamento de Retina: o que é e como acontece

Síndrome do Olho Seco

A Síndrome do Olho Seco é uma doença que ocorre quando o olho produz pouca ou nenhuma lágrima, podendo ser causada por diversos fatores, incluindo pelo envelhecimento natural do olho — principalmente em pessoas acima dos 50 anos.

Principais sintomas: ardência, olhos vermelhos, coceira, dor nos olhos, visão embaçada, sensibilidade à luz (fotofobia), sensação de areia nos olhos e até lacrimejamento.

A Síndrome do Olho Seco pode levar à cegueira? Sim, mas é possível evitá-la consultando-se com um oftalmologista para que ele realize o tratamento adequado.

Tem cura? Depende da causa. Geralmente, quando o olho seco é causado por fatores ambientais, por exemplo (ar condicionado, vento ou clima seco), ele pode ser solucionado.

O mais importante é entender que as causas podem ser várias, e só com a ajuda do oftalmologista, a causa pode ser identificada e tratada, e solucionada quando possível.

Tratamento: O tratamento da Síndrome do Olho Seco pode variar segundo a sua gravidade. Dentre as formas de tratamento, estão o uso de colírios, anti-inflamatórios e até o implante de um plug lacrimal, que irá servir para manter a quantidade suficiente de lágrimas no olho.

Leia também: O que pode causar inflamação nos olhos?   

Presbiopia

A presbiopia, ou vista cansada,  é um dos principais problemas que podem surgir com o envelhecimento: costuma ocorrer a partir dos 40 anos de idade e se consolidar aos 60.

Ela se caracteriza por uma perda da sensibilidade visual em objetos que estejam próximos, ocasionando um desfoque na visão.

Principais sintomas: desconforto para ler e dificuldades para focalizar imagens de perto. Se esses sintomas vierem acompanhados de olhos vermelhos, inchaço, visão dupla ou turva, pode ser que alguma outra doença esteja causando essa vista cansada.

A presbiopia pode levar à cegueira? Não, mas pode piorar com o passar do tempo, prejudicando ainda mais a visão.

Tem cura? Não, mas é possível levar uma vida totalmente normal se o paciente seguir com o tratamento, a ser definido durante a consulta com um oftalmologista.

Tratamento: O tratamento de vista cansada pode envolver desde técnicas simples, como repouso, aplicação de pano com água morna nos olhos e colírios, até o uso de óculos, lentes de contato, implante de lentes intraoculares e até o tratamento de báscula (visão balanceada).

Saiba mais sobre a vista cansada neste artigo: Afinal, o que é a vista cansada e como tratá-la?

Glaucoma

Considerada a principal causa de cegueira no mundo pela OMS, o glaucoma é uma doença crônica e progressiva que afeta diretamente o nervo óptico, causada principalmente por uma pressão intraocular elevada. Ela costuma ocorrer com mais frequência a partir dos 40 anos.

Principais sintomas: a doença é assintomática no início, sendo perceptível apenas quando começa a prejudicar a visão periférica do paciente. Nos estágios mais avançados, podem ocorrer dor nos olhos e na cabeça, e visão baixa, escurecida ou turva.

O Glaucoma pode levar à cegueira? Sim, mas é possível evitá-la consultando-se regularmente com um oftalmologista para que se inicie o tratamento correto precocemente.

Tem cura? Não, mas é possível estabilizar a doença. Quanto antes for feito o diagnóstico, mais eficaz será o tratamento.

Tratamento: O tratamento do glaucoma vai ser definido com base no tipo e estágio em que a doença se encontra. No início, podem ser prescritos o uso de colírios e/ou medicamentos específicos, e nos casos mais avançados, a cirurgia ocular.

Para saber mais sobre o Glaucoma, baixe gratuitamente nosso E-book: Glaucoma – Entenda o que é a segunda maior causa de cegueira no mundo. É só clicar na imagem abaixo!

ebook glaucoma

Para agendar uma consulta com um oftalmologista, é só agendar por aqui.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Atendimento
A Viva Oftalmologia é um centro clínico de referência
especializado em oftalmologia com sede na Capital Federal.
Responsável Técnico: Danielle Jampaulo - CRM-DF 17377
Segunda a Sexta - 8h às 18h
Sábado - 8h30 às 12h

Emergência: Segunda a Domingo - 7h às 22
SGAS 616 – AV. L2 SUL – Conjunto A
Lotes 116/117 – Bloco C – Salas 201/11
Centro Clínico Linea Vitta – Asa Sul,
Brasília – DF CEP: 70200-760
Fone: (61) 3246-5555
email: atendimento.vivaoftalmo@gmail.com
Tel: (61) 3246-5555/ Whatsapp: (61) 9.9998-3098
Copyright® 2017 - Viva Oftalmologia - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por Eixo digital

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?