Como evitar a evolução do ceratocone?

ceratocone

O ceratocone é uma doença ocular que deixa a córnea do olho curvada, semelhante a um cone. Se não tratada de forma adequada, ela pode progredir até que a visão fique bastante prejudicada, ocasionando outras complicações graves.

Felizmente, é possível evitar a evolução do ceratocone, por meio, sobretudo, do tratamento feito junto ao médico oftalmologista. Acompanhe o artigo e entenda como acontece essa evolução da doença, e como funciona o tratamento.

Como ocorre o avanço do ceratocone?

No estágio inicial do ceratocone, o paciente costuma apresentar sintomas bem leves, como sentir a visão um pouco desfocada e uma sensibilidade maior à claridade.

Como consequência, outros sintomas podem acabar ocorrendo, como lacrimejamento, vermelhidão nos olhos e coceira constante.

Caso a doença progrida e atinja um estado mais avançado, a visão pode piorar, tornando-se ainda mais embaçada e distorcida.

Para quem usa óculos de grau ou lentes de contato para tratar erros refrativos, o grau pode aumentar progressivamente, sendo necessário adequar os óculos e as lentes para acompanhar a evolução da doença.

Quais são os riscos da doença quando atinge um estágio mais avançado?

Na medida em que o ceratocone progride, outros sintomas podem surgir, como ter a visão dupla (diplopia) ou sentir que múltiplas imagens de um mesmo objeto estão sendo formadas pela retina (poliopia).

Erros refrativos também podem surgir ou agravar-se nesta fase, em especial o astigmatismo, doença mais frequentemente associada a quem tem ceratocone — a doença também causa a curvatura da córnea e cristalino, gerando sintomas bastante semelhantes ao do ceratocone.

É por isso que quem já usava óculos ou lentes para tratar o astigmatismo, sente que esses acessórios já não estão sendo mais suficientes para garantir uma boa visão.

E ainda: quando o ceratocone avança, podem surgir também o chamado Sinal de Munson — a pálpebra inferior do olho recua quando o paciente olha para baixo —, e a hidropsia corneana — que causa uma perda aguda da visão.

Como evitar a evolução do ceratocone?

Embora o ceratocone não tenha cura e não possua uma causa exata conhecida, com o tratamento adequado, é possível evitar a sua evolução, principalmente se for diagnosticada ainda no seu estágio inicial.

O oftalmologista irá acompanhar o paciente para prevenir uma possível progressão da doença, indicando a necessidade de aumentar o grau dos óculos ou de reaver o tratamento.

Caso o ceratocone progrida, o médico poderá considerar substituir os óculos por lentes de contato, especialmente para tratar casos de astigmatismo agravados pela doença.

Caso as lentes também não sejam mais suficientes para tratar o ceratocone, a cirurgia para recuperar a boa visão e estabilizar a doença surge como a melhor opção de tratamento.

O que vale ressaltar, no entanto, é que o tratamento do ceratocone vai variar, principalmente, de acordo com o estágio em que se encontra a doença no momento em que foi diagnosticada. 

Por isso que é importante consultar-se regularmente com o oftalmologista: uma vez que ela tenha sido descoberta ainda na sua fase inicial, o simples uso de óculos pode melhorar a visão que foi prejudicada.

Como evitar a evolução do ceratocone por meio da cirurgia?

Existem três tipos de cirurgias que podem ser realizadas para tratar o ceratocone:

  • Implante de anéis intra-estromais: também conhecida como Anéis de Ferrara, essa cirurgia consiste na inserção de micro dispositivos na córnea, para regular a sua estrutura, retardar o progresso da ceratocone, e recuperar a visão do olho.
  • Crosslinking corneano: Procedimento cirúrgico bastante eficaz e não invasivo, que consiste em fortalecer as moléculas de colágeno corneano, evitando que a ceratocone progrida. Um colírio de vitamina B2 é aplicado na superfície da córnea, seguido da aplicação de um laser controlado de ultravioleta.

Saiba mais sobre essas cirurgias neste artigo mais completo: Anel de Ferrara x Crosslinking: qual o melhor tratamento para o ceratocone?

  • Transplante da córnea: cirurgia que consiste na remoção da córnea que foi prejudicada, para que seja substituída por uma totalmente nova de um doador. As taxas de sucesso desse transplante são bastante altas, bem como a adaptação do olho com a nova córnea. Entenda melhor aqui: Ceratocone: quando o transplante de córnea é indicado?

Atualmente, com o surgimento das cirurgias de Anéis de Ferrara e Crosslinking cornenano, são raros os casos que necessitam de transplante da córnea para tratar o ceratocone.

Deseja saber mais sobre o ceratocone? Então baixe agora mesmo o nosso E-book Ceratocone – Um Guia Completo sobre a Doença, e obtenha todas as informações necessárias para entender, diagnosticar e tratar o problema.

e-book ceratocone
Baixe gratuitamente o E-book Ceratocone – Um Guia Completo sobre a Doença / Viva Oftalmologia
0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Atendimento
A Viva Oftalmologia é um centro clínico de referência
especializado em oftalmologia com sede na Capital Federal.
Responsável Técnico: Danielle Jampaulo - CRM-DF 17377
Segunda a Sexta - 8h às 18h
Sábado - 8h30 às 12h

Emergência: Segunda a Domingo - 7h às 22
SGAS 616 – AV. L2 SUL – Conjunto A
Lotes 116/117 – Bloco C – Salas 201/11
Centro Clínico Linea Vitta – Asa Sul,
Brasília – DF CEP: 70200-760
Fone: (61) 3246-5555
email: atendimento.vivaoftalmo@gmail.com
Tel: (61) 3246-5555/ Whatsapp: (61) 9.9998-3098
Copyright® 2017 - Viva Oftalmologia - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por Eixo digital

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?