Câncer nos olhos: sintomas, tipos, causas e diagnóstico

Câncer nos olhos sintomas tipos causas e diagnóstico

Mesmo que raro, o câncer nos olhos pode surgir com a proliferação de células malignas na região, levando ao desenvolvimento do tumor no olho e, em alguns casos, perda da visão.

A busca por informação é fundamental para ajudar no diagnóstico precoce da doença e, assim, evitar a evolução do quadro e preservar a qualidade de vida do paciente.

Por isso, neste artigo, você vai entender melhor sobre o câncer nos olhos, seus sintomas mais característicos e fatores de risco, além dos tipos, causas e como é feito o diagnóstico.

Acompanhe!

Câncer nos olhos: entenda o que é e quais áreas pode atingir

Como falamos, o câncer nos olhos acontece quando células malignas presentes nos tecidos oculares passam a se proliferar rapidamente e em larga escala, resultando no tumor no olho. 

Porém, isso não representa a maior parte dos casos.

Geralmente, principalmente em adultos, o câncer nos olhos surge como consequência de outros tipos de câncer presentes no corpo, como câncer de pulmão, câncer de mama, câncer de próstata.

O que acontece é que as células malígnas dos tumores presentes em outras partes do corpo começam a se espalhar pelo organismo por meio da corrente sanguínea, chegando até o globo ocular.

Com isso, desenvolve-se também o tumor na região, que pode atingir estruturas oculares como córnea, retina, nervo óptico, pálpebra, conjuntiva, úvea e até mesmo o canal lacrimal.

Quais os sintomas de câncer no olho e como identificar?

Em geral, o câncer nos olhos não apresenta sintomas, especialmente em seu estágio inicial.

Por isso a importância de ir regularmente ao oftalmologista para fazer exames de rotina e identificar precocemente o problema, evitando a evolução do quadro.

Quando o câncer já está mais avançado, alguns sintomas característicos começam a aparecer, como:

  • Dor na região (principalmente quando o tumor começa a crescer para o lado de fora do globo ocular);
  • Manchas pretas ou escuras na íris;
  • Manchas na visão (quando o paciente enxerga pontos ou flashes de luz, por exemplo);
  • Sombras na visão;
  • Problemas de visão e dificuldades para enxergar;
  • Perda de visão total;
  • Perda de parte do campo visual;
  • Mudança na forma ou tamanho da pupila.

Em crianças, existem maneiras práticas e simples de identificar a presença do tumor no olho. Basta observar fotografias tiradas com flash.

Quando há a presença do câncer nos olhos, é comum aparecer uma mancha branca na íris da criança na foto, ao invés da mancha vermelha, que é o considerado normal.

Se observar isso em alguma foto, busque um oftalmologista para que ele possa avaliar com mais detalhes o caso e oferecer um diagnóstico mais preciso.

cta-agende-sua-consulta-viva-oftalmologia-câncer-nos-olhos

Agende sua consulta agora mesmo na Viva Oftalmologia! É simples e rápido.

Você sabe exatamente quando deve levar o seu filho para consultar com um oftalmologista, de acordo com a faixa etária dele? Descubra neste outro artigo.

Mancha no olho pode ser câncer?

A presença de uma mancha no olho, até mesmo escura, não aponta, necessariamente, a presença de câncer no olho. Em geral, essas manchas costumam ser benignas.

Porém, como viu acima, também pode ser um indicativo de tumor no olho.

Cada caso deve ser avaliado de perto por um especialista para ter a certeza do diagnóstico.

Tipos de câncer nos olhos

Retinoblastoma: o tipo mais comum entre crianças pequenas

O Retinoblastoma é um tumor maligno conhecido por atingir principalmente crianças entre 0 e 5 anos de idade, sendo o tipo de tumor ocular mais comum nessa faixa etária.

Ele costuma atacar, inicialmente, as células da retina do olho da criança, impactando fortemente na sensibilidade à luz.

Além disso, também pode ser hereditário e atingir ambos os olhos.

Leia também:

Problema de vista é hereditário?

Melanoma: o tipo mais comum em adultos

O melanoma é o tipo mais comum de câncer que se desenvolve dentro dos olhos, mas ainda assim é raro.

Ele se desenvolve a partir do pigmento produzido pelos melanócitos, que são as células pigmentadas do nosso corpo. 

Quando se desenvolve dentro do globo ocular, geralmente ocorre na úvea, e por isso esses tumores são denominados de melanoma uveal. Também pode atacar estruturas como pálpebras e conjuntiva.

Além disso, também existe o melanoma de coróide, o tumor mais comum, em que a ocorrência se dá principalmente em adultos. 

Esse tumor é maligno e afeta a área que fica localizada entre a retina e a área esbranquiçada do globo ocular, sendo mais comum em pessoas brancas, acima dos 50 anos, de olhos claros e, também, em quem possui pintas no fundo do olho.

Confira os problemas de visão que atingem pessoas com mais de 40 anos.

Linfoma: originado de outras partes do corpo

Já o linfoma é um tipo de câncer que se origina nas células do sistema imunológico

Com isso, as células malignas de outros órgãos podem chegar até os olhos, ocasionando o tumor.

A maioria das pessoas com linfoma é idosa ou possui uma série de problemas no sistema imunológico.

Além disso, também é um tipo de câncer nos olhos observado frequentemente junto com o linfoma do cérebro, conhecido por linfoma primário de sistema nervoso central.

O que causa o câncer no olho?

Não existem causas exatas do câncer nos olhos. Mas há fatores de risco que aumentam as chances de desenvolvimento da doença, como:

  • Exposição à luz solar;
  • Cor da pele, especialmente paciente brancos;
  • Cor dos olhos, especialmente pacientes com olho claro;
  • Idade, especialmente idosos;
  • Gênero, especialmente homens;
  • Pintas ou sinais no olho;
  • Histórico familiar.

Vale ressaltar que fatores de risco não indicam, necessariamente, que o câncer irá se desenvolver. 

Muitas pessoas que fazem parte do grupo de risco podem nunca desenvolver a doença.

Como é diagnosticado o câncer nos olhos?

Geralmente, o câncer nos olhos é diagnosticado por meio de exames de rotina e específicos, como o mapeamento da retina (ou fundoscopia) e gonioscopia, que oferecem um material mais detalhado para análise do médico e permitem um diagnóstico mais preciso.

Além disso, em consultório, o oftalmologista também irá em busca de sintomas característicos e avaliará algumas questões no exame clínico, como capacidade de visão, movimentação ocular e dilatação de vasos sanguíneos na superfície dos olhos. 

Pode ser necessária a dilatação da pupila, para melhor análise.

É a partir dos resultados dos exames e da avaliação de cada caso (localização do tumor, estágio, saúde do paciente e chances de cura) que o melhor tratamento será indicado. 

Em geral, as opções de tratamento são: radioterapia, quimioterapia, laserterapia, imunoterapia, braquiterapia (aplicação de radiação controlada na região), terapia alvo, ou, em casos mais graves, cirurgia e a remoção do globo ocular afetado.

É importante lembrar que, quanto mais cedo diagnosticada a doença, maiores as chances de cura do câncer nos olhos.

Clique aqui e agende uma consulta com um dos especialistas da Viva Oftalmologia. Nós iremos avaliar o seu caso com atenção e oferecer uma orientação profissional para o seu problema. 

Leia também: O que esperar de uma consulta ao oftalmologista? e Exames de vista que você deve fazer por faixa etária.

Atendimento
A Viva Oftalmologia é um centro clínico de referência
especializado em oftalmologia com sede na Capital Federal.
Responsável Técnico: Danielle Jampaulo - CRM-DF 17377
Segunda a Sexta - 8h às 18h
Sábado - 8h30 às 12h

Emergência: Segunda a Domingo - 7h às 22
SGAS 616 – AV. L2 SUL – Conjunto A
Lotes 116/117 – Bloco C – Salas 201/11
Centro Clínico Linea Vitta – Asa Sul,
Brasília – DF CEP: 70200-760
Fone: (61) 3246-5555
email: atendimento.vivaoftalmo@gmail.com
Tel: (61) 3246-5555/ Whatsapp: (61) 9.9998-3098
Copyright® 2017 - Viva Oftalmologia - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por Eixo digital

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?