Exames de vista: quais são e o que detectam

criança fazendo exame de vista

Popularmente conhecidos como exames de vista, os exames oculares são a principal forma de garantir a saúde dos olhos.

Eles são uma peça essencial para prevenir e diagnosticar diversos problemas e doenças oftalmológicas, desde as mais simples (como o grau de vista) até as mais graves e sérias (como a cegueira).

Neste artigo, vamos te apresentar os principais exames de vistas que são pedidos pelos oftalmologistas*, explicando para que servem e o que detectam.

Assim, você poderá tirar as suas dúvidas, ok?

Confira!

*os exames estão organizados em ordem alfabética, para facilitar a leitura.

Entenda os principais exames oculares e para que servem

Avaliação externa (Ectoscopia)

Esse é, em geral, o primeiro exame que é feito em uma consulta oftalmológica.

Por meio dele, o médico irá avaliar as estruturas mais externas do olho, como superfície, pálpebras e canal por onde sai a lágrima, em busca de doenças/problemas oculares que sejam mais perceptíveis por sintomas clínicos.

Além disso, os resultados desse exame também vão orientar o restante da consulta e poderão demandar outros exames complementares.

O que o exame detecta: vermelhidão e inflamação nos olhos, olho seco, edemas nas pálpebras, entre outros.

Biomicroscopia

Também conhecido como exame de lâmpada de fenda, a Biomicroscopia possibilita uma visão em 3D do olho, dando acesso a informações mais detalhadas para a análise do médico.

O exame fornece dados valiosos sobre diversas partes do globo ocular, como córnea, nervo óptico e até mesmo as células dos olhos.

Tudo isso por meio de um microscópio específico, com grande aumento da imagem.

O que o exame detecta: inflamações nos olhos e doenças, como conjuntivite, catarata e glaucoma, além de tumores na íris. Também é feito no pré-operatório de procedimentos e cirurgias, como para o implante de lentes intraoculares.

Exame de Refração

Esse exame avalia a capacidade de enxergar do paciente e define o grau dos óculos ou lentes de contato.

Para isso, o médico analisa possíveis erros de refração (causas dos problemas de vista) por meio de dois equipamentos.

Pode-se usar o autorrefrator, qpara auxiliar a encontrar o grau mais preciso no exame com o refrator, utilizado pelo médico e que é colocado em frente ao rosto do paciente.

É nesse exame que o médico pede para que o paciente leia imagens, letras ou números, a uma certa distância, para avaliar o grau.

Pode ser necessário dilatar a pupila, de acordo com a orientação do oftalmologista.

O que o exame detecta: miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia.

Fundoscopia

Também conhecido como exame de fundo de olho ou mapeamento de retina, esse exame busca analisar as estruturas do fundo do olho, como retina, nervo óptico e vasos sanguíneos.

Para isso, o médico dilata a pupila do paciente e o coloca em um ambiente com pouca iluminação.

Depois, ele utiliza um equipamento chamado oftalmoscópio, que tem uma lente especial e que permite ao médico ver mais detalhes da estrutura interna do olho.

O que o exame detecta: doenças do nervo óptico e na retina — como retinopatia diabética — e glaucoma, além de diabetes ou hipertensão no globo ocular.

[E-BOOK] Saiba mais sobre o Glaucoma

Senso Cromático

Esse exame avalia a capacidade do paciente de enxergar cores.

Para isso, o médico faz um teste simples com cartões coloridos, que têm círculos e formas com cores diferentes, formando um número ao centro.

O oftalmologista observa se o paciente é capaz de enxergar ou não esse número.

O que o exame detecta: daltonismo e doenças da mácula.

Teste ortóptico

O Teste ortóptico busca avaliar como está o funcionamento dos músculos dos olhos e se a posição do olhar está correta.

Durante o exame, o médico utiliza equipamentos como oclusor manual e reflexo luminoso corneal para que o paciente fixe o olhar em certo ponto.

O que o exame detecta: estrabismo e ambliopia.

Tonometria

Esse é o principal exame para medir a pressão do olho, considerado de rotina em qualquer consulta oftalmológica.

Para isso, o oftalmologista utiliza um dispositivo simples chamado tonômetro ou a tecnologia a ar, que impulsiona um jato de ar indolor no olho do paciente e fornece automaticamente a pressão intraocular.

O que o exame detecta: hipertensão ou hipotonia ocular e glaucoma. Também serve para o acompanhamento da pressão ocular no pós-operatório de procedimentos intraoculares.

Quando foi a última vez que você se consultou com um oftalmologista?

É comum que as pessoas só procurem o oftalmologista quando identificam algum sintoma ou alteração nos olhos que causa incômodo e preocupação.

Porém, o recomendado é que se faça pelo menos uma consulta oftalmológica por ano.

Isso porque quanto mais cedo o diagnóstico em exames de rotina, mais eficaz é o tratamento para possíveis problemas de vista.

Então, se tem muito tempo que você foi ao oftalmologista, agende agora mesmo uma consulta e cuide mais da sua saúde ocular.

A Viva Oftalmologia trabalha com os principais planos de saúde do Brasil.

Conheça quais são as redes conveniadas clicando aqui.

Leia também: O que esperar de uma consulta ao oftalmologista? e Quando levar os filhos ao oftalmologista?

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Atendimento
A Viva Oftalmologia é um centro clínico de referência
especializado em oftalmologia com sede na Capital Federal.
Responsável Técnico: Danielle Jampaulo - CRM-DF 17377
Segunda a Sexta - 8h às 18h
Sábado - 8h30 às 12h

Emergência: Segunda a Domingo - 7h às 22
SGAS 616 – AV. L2 SUL – Conjunto A
Lotes 116/117 – Bloco C – Salas 201/11
Centro Clínico Linea Vitta – Asa Sul,
Brasília – DF CEP: 70200-760
Fone: (61) 3246-5555
email: atendimento.vivaoftalmo@gmail.com
Tel: (61) 3246-5555/ Whatsapp: (61) 9.9998-3098
Copyright® 2017 - Viva Oftalmologia - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por Eixo digital

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?